“Queremos eleição direta e que Temer saia logo”, diz Lula

maio 20, 2017Senador Georgino Avelino Minha Cidade

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu, neste sábado (20), que sejam realizadas eleições livres e diretas no Brasil o mais cedo possível, com a pronta saída de Michel Temer do cargo que ocupa hoje.

“O que queremos é eleição direta. Queremos que o Temer saia logo”, afirmou o ex-presidente.

“Nada que fizerem contra mim é mais grave do que estão fazendo contra o povo brasileiro”, defendeu, em referência aos ataques que o governo golpista tem promovido contra os direitos do povo brasileiro.

Lula participou da posse de Luiz Marinho, novo presidente do Diretório Municipal do PT em São Bernardo do Campo, homenageando o companheiro recém-eleito no Processo Eleitoral Direto. O deputado Vicente Cândido esteve presente e pediu apoio à reforma política para avançar o texto no Congresso.

Marinho ressaltou ao presentes que “vivemos momento de grande excepcionalidade”. “Nosso partido, que sofreu uma grande derrota em 2016, mas nossa derrota não é motivo de desanimar nenhum militante. Pelo contrário, é momento de assumir a responsabilidade maior ainda, a responsabilidade de repensar o nosso partido sobre uma nova lógica, a lógica de que o destino da sustentabilidade do nosso partido depende da militância”.

O novo presidente do diretório municipal ainda defendeu que “hoje o governo golpista está caindo pelas panelas porque tiraram uma mulher honesta para colocar uma quadrilha”. “E falam de desmontar conquistas da classe trabalhadora. O modelo para sair da crise não é cortar direito da classe trabalhadora, o modelo para sair da crise é gerar emprego”.

Relembrando um comício de 1979 pela liberdade política, Lula falou sobre a resistência que havia com relação a criação de um partido que fosse dos trabalhadores e tivesse os trabalhadores no nome. “Conseguimos criar um dos maios importantes partidos de esquerda da América Latina, quiçá do mundo”, afirmou o ex-presidente. “Não tem partido similar ao PT. Foi a primeira vez que colocamos o trabalhador como sujeito da história”, acrescentou.

“O partido que em 1980 as pessoas diziam que era bonitinho mas não dava porquê éramos ingênuos e despreparados, passou a ser odiado depois que provou que tinha mais competência política do que todos que governaram antes”, afirmou Lula, acrescentando que “é importante a gente aprender a conviver democraticamente na diversidade. Essa é a novidade que o PT trouxe”.

“Outra coisa é que os partidos de esquerda tradicionais faziam, pegavam estudantes nas universidades e colocavam dentro da fábrica. Nós fizemos o contrário, começamos a pegar peão de dentro da fábrica e colocar na universidade. É uma diferença crucial. Acreditar que o peão tem tanta competência para trabalhar politicamente como qualquer setor da sociedade”, defendeu o ex-presidente.
De acordo com Lula, o golpe aplicado na democracia e na presidenta eleita Dilma Rousseff está cada vez mais se tornando claro como uma manobra que tinha por objetivo final subtrair direitos dos trabalhadores: “O tempo provou que o golpe foi contra o Povo. Aumentou a corrupção, aumentou o desemprego, aumentou a desilusão, caiu o salário…”

Neste ponto, Lula destacou que as “reformas” da Previdência e trabalhista são os pontos principais deste desmonte, e precisam ser interrompidas o quanto antes. “Eles dizem que estão fazendo reformas. Reforma a gente faz pra melhorar algo. Eles estão fazendo uma demolição. Eles estão limitando o acesso das pessoas às coisas que nós produzimos. Um governo voltado para o mercado. Não se governa para o mercado, se governa para o povo”, disse.

Dentro deste entendimento, prosseguiu o ex-presidente, a Rede Globo de Televisão teria um papel importante, de disseminar o ódio ao PT e abrir caminho para que as chamadas reformas sejam aprovadas. Por isso, os interesses da emissora jamais podem se confundir com os interesses da maioria da população, por mais que o grupo da família Marinho mostre agora algum interesse na deixada de Temer do poder.

“Muito do clima de ódio que o Brasil vive hoje tem a ver com o que a Globo está fazendo. É tanta perseguição, tanta acusação que aparece todo dia, que isso me dá vontade de ser presidente, de me candidatar novamente. Minha candidatura ainda vai depender de muita coisa, mas Deus queira que a Globo defina logo o candidato dela.”

Ouça a fala do ex-presidente:

Image and video hosting by TinyPic

You Might Also Like

0 comentários

NOSSA PÁGINA

Formulário de contato