featured gallery

LULA IRONIZA MORO E DIZ: SE FOR NECESSÁRIO EU ME MUDO PARA CURITIBA

abril 26, 2017Senador Georgino Avelino Minha Cidade

Resultado de imagem para LULA IRONIZA MORO E DIZ: SE FOR NECESSÁRIO EU ME MUDO PARA CURITIBA
Em entrevista ao SBT que será exibida nesta noite, ex-presidente afirma que o juiz Sergio Moro não pode cercear seu direito de defesa, e chama de 'barganha' a sugestão do magistrado para que a defesa do ex-presidente diminua o número de 87 testemunhas num processo contra ele, em troca da reavaliação de sua decisão para que Lula compareça em todas as audiências; "Eu acho que o juiz Moro teria que, democraticamente, respeitando o estado de direito, garantir que os advogados convoquem a testemunha que quiser", disse Lula; "Se o juiz Moro fez essa proposta de barganha para diminuir as testemunhas, para mim não tem problema. Se for necessário eu mudo para Curitiba, fico lá o tempo necessário, para gente esperar o julgamento", completou; Lula disse ainda ao jornalista Kennedy Alencar que, nas condições que o país está hoje, ele será candidato; a não ser que deem um "segundo golpe e digam que não vai ter eleição em 2018"

247 - Em entrevista que será exibida às 19h45 desta quarta-feira 26 no SBT, o ex-presidente afirma que o juiz Sergio Moro, da Lava Jato, não pode cercear seu direito de defesa, e chama de 'barganha' a sugestão do magistrado para que a defesa do ex-presidente diminua o número de 87 testemunhas em um processo contra ele, em troca da reavaliação de sua decisão para que Lula compareça obrigatoriamente em todas as audiências (confira um trecho no vídeo acima).
"Primeiro nós temos que ter em conta que o juiz Moro não pode julgar a quantidade de testemunha, ele tem que julgar é a qualidade dos depoimentos que as pessoas vão fazer. Se os meus advogados chamaram, é porque eles acham que essas testemunhas vão ter alguma coisa nova a acrescentar no direito de defesa que eu tenho", defendeu Lula. 
"Ele não pode cercear e limitar a quantidade de testemunhas. O Ministério Público não pede para mim, não pede para os meus advogados a quantidade de pessoas que vão investigar, que vão acompanhar, a Polícia Federal não pede, portanto, eu acho que o juiz Moro teria que, democraticamente, respeitando o estado de direito, garantir que os advogados convoquem a testemunha que quiser convocar para participar desse processo", prosseguiu.
"Eu acho que não tem barganha", disse ainda Lula. "Se o juiz Moro fez essa proposta de barganha para diminuir o número de testemunhas para que assim não exija minha presença, para mim não tem problema. Se for necessário eu mudo para Curitiba, fico lá o tempo necessário, para gente esperar o julgamento", ressaltou.
Questionado pelo jornalista Kennedy Alencar se será candidato caso tenha condições jurídicas para isso, o petista respondeu: "Primeiro, eu terei condições jurídicas de ser candidato. Porque não há nenhuma razão jurídica para evitar que eu seja candidato. Aí seria melhor eles terem coragem de dizer o seguinte: 'olha, vamos dar o segundo golpe nesse país, e não vai ter eleição em 2018'" (assista aqui).
Em seguida, Lula confirmou que será candidato na próxima eleição presidencial. "Na situação que está eu serei candidato. E vou te dizer mais, eu agora quero ser candidato. É importante: eu agora quero ser candidato a presidente da República", destacou.

Image and video hosting by TinyPic

You Might Also Like

0 comentários

Contatos:
(084) 99212 - 7306
marconeptgeorgino@hotmail.com
Senador Georgino Avelino Minha Cidade
Informações 24/7